Crosslinking – Avanço e Inovação

O que é o Crosslinking da Córnea?

O crosslinking da córnea é um novo tratamento cirúrgico desenvolvido com a finalidade de aumentar a resistência da córnea, aumentando sua estabilidade. O objetivo é minimizar a progressão do ceratocone e com isso retardar ou até mesmo evitar um futuro transplante de córnea.

O procedimento está indicado para pacientes portadores das chamadas ectasias corneanas, como ceratocone e degeneração marginal pelúcida. O tratamento também pode ser realizado em pacientes previamente submetidos a outras cirurgias na córnea. O crosslinking corresponde ao processo de fortalecimento de uma estrutura pela indução de ligações covalentes entre as moléculas de um mesmo material ou órgão.

No crosslinking da córnea, haverá um fortalecimento das fibras de colágeno (que representam as pontes de sustentação da córnea). Com o aumento da resistência corneana, diminui-se a elasticidade da córnea e com isso, reduz-se a chance de progressão do abaulamento corneano, responsável pelo alto astigmatismo e baixa da visão.

A córnea com fibras de colágeno menos unidas, será mais frágil (deformável) em comparação com a córnea com fibras de colágeno mais unidas (crosslinking).

imagens

Fortalecimento da Córnea após a cirurgia de Crosslinking, pela maior união das fibras de colágeno.

O crosslinking da córnea apesar de ser considerada uma técnica recente, já vendo sendo realizada há mais de 15 anos na Europa. Atualmente o crosslinking é a cirurgia mais realizada no mundo para tratamento do ceratocone.

Estima-se que mais de 500 mil portadores de ceratocone já se beneficiaram com o tratamento pelo crosslinking no mundo. O procedimento cirúrgico é simples e minimamente invasivo, sendo realizado somente com anestesia tópica (colírios). A duração é de aproximadamente 30 minutos e não há necessidade de internação, jejum ou repouso após a realização do mesmo.

A técnica consiste na aplicação de um colírio a base de riboflavina (vitamina B), a qual é ativada por meio de um feixe especial de luz ultravioleta, determinando a contração e união das fibras de colágeno, o que resulta no aumento da resistência estrutural da córnea. Dessa forma, as chances de progressão do ceratocone são minimizadas, muitas vezes retardando e até mesmo evitando um futuro transplante de córnea. Dezenas de estudos já foram publicados até o momento, confirmando a eficácia e segurança do crosslinking da córnea.

Sem-Título-1

Paciente sendo submetido a cirurgia de Crosslinking da Córnea

Entretanto, é necessário um detalhada avaliação para se identificar os pacientes que apresentarão maior benefício com o tratamento. Os maiores beneficiários são geralmente os pacientes que apresentam estágios leves a moderados da doença. Apesar de os últimos estudos terem mostrado benefícios em estágios avançados e especialmente em crianças e jovens.  O tratamento com o crosslinking vem revolucionando o tratamento do ceratocone e traz uma grande esperança para os jovens portadores de ceratacone.

O Dr. Marcelo vem se dedicando há vários anos ao estudo do ceratocone e seu tratamento e participou de vários estudos com o crosslinking da córnea em diferentes centros de pesquisa nos Estados Unidos.
Atualmente o Dr. Marcelo está coordenando vários projetos com o crosslinking na Universidade de São Paulo (USP) e já beneficiou inúmeros pacientes com essa nova modalidade terapêutica.